Como escolher e contratar um Coach?

 

Coaching

O que ter em conta na hora de escolher um Coach?

1 – FORMAÇÃO E QUALIFICAÇÃO

É importante averiguar as credenciais do profissional, a sua formação e qualificação técnica. É fundamental que o profissional possua uma sólida formação em Coaching e que esteja continuamente a investir em formação continuada, pois quanto mais abrangente e multidisciplinar for a sua formação, melhor. A formação contínua do Coach é essencial para o Coach Profissional e faz parte da sua profissão.

Assim, tenha também em atenção de que forma o Coach se tem focado no seu desenvolvimento na profissão, através de cursos de aperfeiçoamento, especializações e atualizações. Se ele próprio não investiu no seu auto -desenvolvimento profissional será mais difícil que possa conseguir compreender o seu Coachee e as suas necessidades evolutivas.

Tudo isto sem esquecer que a formação técnica fornece apenas a base para o trabalho do Coach. É na prática que o Coach se faz.

2 – EXPERIÊNCIA

Além das qualificações do Coach, é importante perceber a experiência prática efetiva que ele possui. Por isso, na hora de contratar um Coach, procure perceber há quanto tempo ele atua no mercado, com que tipo de situações tem trabalhado, que clientes beneficiaram dos seus serviços ou em que empresas atuou como Coach…

No âmbito do Coaching Executivo é importante também que o profissional tenha  tido uma vivência no ambiente organizacional, uma vez que tal pode ajudá-lo a entender melhor o contexto do cliente (mas sempre sem opinar, julgar ou interferir).

3 – ÁREA DE ATUAÇÃO

Também é importante perceber a área em que o Coach trabalha. Um Coach, pela sua formação, está preparado para trabalhar nas mais diversas áreas, porém há Coaches que se foram especializando em áreas mais específicas, pelo que podem estar mais direcionados para os seus objetivos.

3 – PRINCÍPIOS ÉTICOS

A observância do Código de Ética Profissional por parte do Coach é outro aspeto fundamental. O Coach é um profissional comprometido com determinados parâmetros e princípios éticos que guiam a sua conduta, entre os quais ressaltamos três: 

  • Confidencialidade: o Coach está comprometido com a observância do segredo profissional, pelo que se na primeira reunião o Coach lhe fornece dados de antigos clientes, é sinal de alerta
  • Respeito: para o Coach o interesse que prevalece é sempre o do seu cliente; o Coach tem um profundo respeito pelo ser humano e acredita no potencial do seu cliente, sem opinar ou interferir com sugestões pessoais, pois ele sabe que cabe ao Coachee encontrar os seus caminhos, fazer as suas escolhas e tomar as suas próprias decisões
  • Honestidade: o Coach deve ter consciência das suas limitações e não aceitar facilitar processos de Coaching para os quais não se sinta devidamente capacitado. A honestidade deste profissional traduz-se também no reconhecimento do momento em que o processo finalizou, sendo capaz de perceber quando é que outro tipo de processos é mais adequado ao cliente, encaminhado-o para outro profissional

5 – SINTONIA COM O PROFISSIONAL

É primordial que o seu Coach seja uma pessoa com quem tenha facilidade em se relacionar e que seja criada uma relação de confiança.

O processo de Coaching assenta numa parceria entre o Coach e o seu cliente. Sem confiança não há parceria. Para que a parceria entre o Coach e o Coachee seja eficaz, é necessário que se crie um clima de sintonia, confiança e cooperação.

 

© SPCP todos os direitos reservados